11 de janeiro de 2010

Os porques de estar com você

Porque não sei mais levantar dia após dia sem lembrar do teu riso, sem pensar na tua vozinha desafinando qualquer boba canção, me dizendo qualquer sandice que me faça sorrir...

Porque cada dia sem te ver se transforma em eternidade, por mais clichê que pareça.

Porque você implica com meus clichês, e eu preciso de alguém me dizendo o quanto estou errada por viver a repeti-los.

Porque me dá vontade de ficar... Quando você está perto me dá vontade de ficar sempre mais. E quinze minutos podem ser 15 horas, eu juro que não percebo a diferença quando somos só nós no mundo.

Porque eu sei que não sou como você esperava, e mesmo assim você está aqui.

Porque o seu ser imperfeito me serve perfeitamente.

Porque o meu ser imperfeito de alguma forma de agrada também.

Porque o teu beijo é como navegar num mar de sem fim...

Porque o que sinto é forte como onda do mar. Porque não sei não te querer, não te amar, não te querer perto, não querer te fazer feliz.

Porque não sei se vai durar, não sei qual de nós vai conseguir esperar, mas sei que hoje, meu bem, hoje minha vida é te amar.

E é por isso que eu estou aqui.

2 comentários:

acordaze disse...

Gostaria primeiro de colocar minhas desculpas por me acusar como alvo desse post, mas a satisfação em me ver como objeto descrito de uma maneira tão nobre foi capaz de eliminar qualquer vestígio de esconderijo que ainda poderíamos ter. Não irei deixar elogios literários, pois já temos quem o faça ^^, mas deixarei apenas os elogios amorosos e só aqueles, os nossos, para te minha namorada.

(Desculpe tb a parcialidade do coment =X)

Keka disse...

Retiro de mim a nobreza dos versos, eles são apenas reflexo do que vejo e sinto, portanto, culpa sua, inevitavelmente sua.
Elogios literários não nos caem bem, fiquemos com nossas críticas quase sempre pertinentes.
Os elogios amorosos, esses aceito de bom grado, e retribuo com tudo que posso dar. Então não há desculpas a pedir! ^^
Amo-te, meu namorado!!! - num português muito bem escrito, com direito a ênclise e tudo!