12 de julho de 2010

Rastro

Você, o ladrão que por anos planejou o crime perfeito. Não penses que estás sozinho, cá estou eu a mirar o teu meticuloso trabalho.
Jogou a frase como quem não quer nada, cuspida assim como que involuntariamente em meio à multidão, de uma forma que jamais se pudesse perceber quem a tivesse lançado ao ar.
O caos implatado - seu objetivo final - foi alcançado. Todos desesperados a procurar o vil causador da bálburdia incoltrolável. Não sei se mais aterrorizante era o dito ou o desespero de não se saber quem disse.
Mas enfim, o fato é que você saiu feliz com sua missão cumprida, acreditando nunca ser descoberto. Venho dizer-te que infelizmente seu plano perfeito não era tão perfeito assim, você saiu aparentemente incólume, impune, mas eu vi o rastro de piche que você deixou com seus sapatos melados. Posso te achar em qualquer lugar.

Um comentário:

Marcio Nicolau disse...

elementar, minha cara.
:)