4 de julho de 2010

O que devo a ele.

Porque eu nunca esqueci dele.
Porque ele é aquele tipo de pessoa que simplesmente não se consegue esquecer. Tem gente que tem a sorte de encontrar com uma dessas na vida, e eu tive. Sabendo então que essa impossibilidade existia, nem me esforcei em tentar. Tomei ciência, desde quando o senti, o toquei, vi aquele sorriso que ia me acompanhar pelo tempo da eternidade dos dias.
Era amor. Eu o amava talvez desde o primeiro dia, mesmo sem saber. E era um amor muito maior que apenas um amor de carne. Ia muito além de possuir, consumir e saber o que há por dentro. Tive a verdadeira noção do amor talvez pela primeira vez então, amor quando as diferenças imensas já não são mais capazes de separar. Era um amor diferente, desconhecido até então para ambos, amor como que nascido da segurança de se ter um ao outro, mesmo quando não se tinha ainda da forma desejada.
E hoje, que a forma desejada chegou, sou feliz por ele ter me pedido pra ficar.
Por ele ter acreditado, e me pedido pra ficar.
Porque a sua mão segurando a minha me deu força de continuar. E vê-lo continuar remando quando o barco afundava me fazia querer remar também.
Hoje consigo olhar pra frente e acreditar que a felicidade do mundo inteiro cabe numa tarde de conversa, numa ida ao cinema, num milkshake dividido.


Porque você não me deixou desistir, porque toda a felicidade que hoje me cabe devo a você, integralmente.
Obrigada pelo amor mais sincero e lindo que eu já fui capaz de sentir.
Obrigada por estarmos aqui.


A você, meu agradecimento, meu amor, meu sorriso e minha canção.
Cada um dos meus versos, até o fim.
Que não haja fim.

2 comentários:

acordaze disse...

Peço por favor
Se você de longe me escutar
Que venha aqui pra me buscar
Me leve para passear

No seu disco voador
Como um enorme carrossel
Atravessando o azul do céu
Até pousar no meu quintal

Se o pensamento duvidar
Todos os meus poros vão dizer
Estou pronto para embarcar
Sem me preocupar e sem temer

Vem me levar
Para um lugar
Longe daqui
Livre para navegar
No espaço sideral
Porque sei que sou

Semelhante de você
Diferente de você
Passageiro de você
À espera de você

No seu balão de são joão
Que caia bem na minha mão
Ou numa pipa de papel
Me leve para além do céu

Se o coração disparar
Quando eu levantar os pés do chão
A imensidão vai me abraçar
E acalmar a minha pulsação

Longe de mim
Solto no ar
Dentro do amor
Livre para navegar
Indo para onde for
O seu disco voador

Vens?

Klécia Melo disse...

E ja nao estou aqui desde sempre??? E pra sempre???
Vamos!!!!